Amores Verdaderos: Base clássica, folhetim moderno

Jonathas Lopes
Jonathas Lopes

Título original: Amores Verdaderos (Amores Verdadeiros)

Produção: Nicandro Díaz González

Roteiro: Kary Fajer, Ximera Suárez e Alberto Gómez

Direção: Salvador Garcini

Nº de capítulos: 181 (Las Estrellas); 183 (Versão internacional)

País/Ano: México/2012

Levada ao ar em 2012 pelo canal Las Estrellas em 181 capítulos, Amores Verdaderos foi um verdadeiro fenômeno de audiência no México. A trama foi exibida na faixa do horário nobre (ou estelar como chamam por lá), ás 21h. Recentemente a história foi reprisada pelo mesmo canal, porém agora na faixa vespertina e adivinhem? Sim, bombou de novo. A reprise de Amores Verdaderos chegou a liderar contra as novelas exibidas no horário noturno.

Sebastián Rulli, Eiza González, Erika Buenfil e Eduardo Yañes foram os protagonistas dessa história. (Foto: Reprodução).

O folhetim foi produzido por Nicandro Díaz González (A Dona, Amanhã é Para Sempre) e contou com a direção de cena de Salvador Garcini (mais a frente vamos falar sobre esse senhor!).

Amores Verdaderos não era uma história original, mas sim um remake da novela argentina Amor en Custodia (2005). Curiosamente a TV Azteca, principal concorrente do grupo Televisa, lançou uma versão dessa novela no México, sendo assim Amores Verdaderos foi a segunda versão produzida no país.

(Reprodução: Televisa).
QUAL A HISTÓRIA?

Victoria Balvanera (Erika Buenfil) é uma importante empresária do ramo publicitário, casada com o também empresário Nelson Briz (Guillermo Capetillo). Após ser vítima de um atentado em sua fazenda, Victoria decide contratar um segurança particular – José Ángel Arriaga (Eduardo Yañez), um camponês que a salva no dia do atentado. Inicialmente Victoria contrata Francisco Guzmán (Sebastián Rulli), porém após Arriaga aceitar a proposta de emprego, Guzmán acaba ficando responsável pela segurança da filha da ricaça, a patricinha Nikki Briz (Eiza González), a qual sofre com distúrbios alimentares. A partir de então a história segue uma sequência de reviravoltas que vão pôr a prova o que é um amor verdadeiro.

(Foto: Reprodução).
MAS É BOA?

A trama reúne grandes elementos clássicos de um folhetim, como a figura de vilões perigosos, triângulos amorosos, segredos do passado e claro, muitas reviravoltas. Todavia, Amores Verdaderos sofre de um mal necessário em tramas tão extensas – a famosa “barriga”-, pois em alguns momentos a história parece não avançar em NADA!, porém para quem curte uma boa história de amor essa questão não será um problema, pois enquanto a trama principal não anda, os casais protagonistas são um chame a parte.

(Foto: Reprodução).

Os primeiros 20 capítulos da história são bem interessantes, em suma parte pelas constantes tentativas de sequestro e/ou assassinato liderados pelos vilões da trama – Kendra Ferreti (Marjorie de Souza) e Salsero (Francisco Gattorno). Depois disso, a novela entra em um arco chato e desnecessário onde a personagem Odette Longoria (Lilia Aragón)- para não ‘ficar esquecida no churrasco’ -, contrata Kendra para prejudicar a relação entre Victoria e Nelson e assim enfraquecer a empresa da família, a Meta Imagem Internacional, já que Odette é dona da empresa concorrente. Esse arco é tão desnecessário que no fim resulta em zero multiplicado por qualquer número, by Nikki Briz, ou seja, NADA!

Lilia Aragón interpretou a personagem Odette Longoria. (Reprodução: Televisa).

A história começa a melhorar quando Adriana, personagem de Natalia Esperón, resolve retornar para a Cidade do México e investigar sobre a morte de sua filha recém-nascida, batendo de frente com seu pai, Aníbal Balvanera (Enrique Rocha). Mas o plot não é solucionado logo e então lá vem mais barriga. Depois de alguns anos um antigo namorado de Victoria retorna, agora sob a identidade de Joan Constatín (Lisardo), um diretor que escolheu a Cidade do México como cenário para gravação de seu novo filme, o qual acaba sendo um roteiro escrito por Victoria Balvanera. E o título é qual? Adivinhem? Isso mesmo, o filme se chama, também, Amores Verdaderos. Muita originalidade, vocês não acham? Ou só quiseram pagar mico gratuito mesmo?

Natalia Esperón viveu a filha revoltada de Aníbal, personagem de Enrique Rocha. (Reprodução: Televisa).

No outro núcleo protagonista, Nikki resolve se casar com Roy (Eleazar Gómez), mesmo estando apaixonada por seu segurança particular – Guzmán . Nesse meio tempo surgem alguns arcos interessantes como a redenção de Salsero, o qual se apaixona pela irmã de Guzmán, Beatriz (Susana González).

Nikki se casou com Roy mesmo estando apaixonada por Guzmán. (Reprodução: Televisa).
A redenção de Salsero enquanto ele se apaixona por Beatriz é uma das melhores subtramas da novela. (Reprodução: Televisa).

Após esses acontecimentos a novela adquire um ritmo mais constante e assim segue até o final, com exceção de alguns momentos, risos. A reta final da trama é bem envolvente, com todos os segredos sendo jogados na cara dos personagens na ÚLTIMA SEMANA. Porém como já falei acima, o romance dos casais protagonistas é o ponto forte, e nesse quesito o desenvolvimento é satisfatório e prende a atenção em cada capítulo.

(Foto: Reprodução).

TEM CIRCO?

Claro! Esse é um elemento que não pode faltar em folhetins clássicos, e Amores Verdaderos bebe dessa fonte em diferentes ocasiões e adaptações, isso porque a novela foi adaptada por três escritores diferentes ao longo de sua exibição. Começou sob o comando de Kary Fajer (Soy Tu Dueña), depois o texto passou para as mãos de Ximena Suárez (Teresa, La Que No Podía Amar) e em seguida para o experiente Alberto Gómez (Mar de Amor) – leia também a melhor fase da novela. A cada mudança de roteirista a trama seguia em um rumo diferente, e isso era evidente na tela. Kary Fajer voltou a assumir por completo a adaptação da trama nos últimos meses.

Kary Fajer adaptou os primeiros capítulos e os últimos. (Reprodução: Televisa).
Ximena Suárez adaptou boa parte do texto da novela. (Reprodução: Telinha Online).
Alberto Gómez também chegou a escrever alguns capítulos. (Reprodução: Telinha Online).

As fases escritas por Kary Fajer e Ximena Suárez não apresentam muita diferença – o texto lento, mais focado no desenvolvimento dos personagens -, já Alberto Gómez soube dar um pouco de gás para a trama, com um arco envolvendo o sequestro do filho de Beatriz pelo seu marido abusivo Leonardo (Julio Camejo), com direito a criança indo parar no lixão e sendo cuidada por um ancião por algum tempo, risos. Outro momento legal nessa fase é quando Victoria descobre que Kendra é a amante de seu esposo Nelson, com direito a muito puxão de cabelo e tapa na cara, e claro, não pode faltar o clássico bordão mexicano – ‘mil vezes maldita’.

Julio Camejo viveu Leonardo, o marido abusivo de Beatriz. (Reprodução: Televisa).
Beatriz é sequestrada por Leonardo. (Reprodução: Televisa).

A vilã Kendra era super a frente de seu tempo, e acumulava suas vítimas (não foram muitas!) com o uso de um veneno mortal, que ao tocar na pele levava a pessoa a morte imediata(!).

Nabila (Bárbara Islas) foi uma das vítimas do veneno mortal de Kendra. (Reprodução: Televisa).
‘Mil vezes maldita’. (Foto: Televisa).

Na reta final o público ainda foi surpreendido com o mocinho Arriaga ficando cego no penúltimo capítulo, após descobrir que Liliana (Sherlyn) não é sua filha biológica.

E sabe aquelas tramas que todo mundo descobre no final que é parente? Pois bem, em Amores Verdaderos também teve isso. Próximo ao capitulo 100, Cristina (Mónika Sánchez), esposa de Arriaga, descobre ser meia-irmã de Victoria e Adriana, pois sua mãe Candelaria (Ana Martín) teve um caso com Aníbal. Um pouco antes disso, Nikki descobre que a mãe de Guzmán, Paula (Silvia Manríquez), está viva e é amante de seu avô, Aníbal. Como se não bastassem essas coincidências, Candelaria, mãe de Cristina, revela que Liliana não é sua neta, tampouco é a filha biológica de Cristina e Arriaga, já que a criança do casal nasceu morta, e para evitar mais sofrimento para a filha, Candelaria trocou o bebê morto de Cristina pela filha de Adriana, que tinha acabado de nascer. Mas tudo continua em família já que na verdade Liliana é a filha perdida de Adriana, ou seja, ela não é a filha biológica de Cristina, mas sim sua sobrinha, já que Cristina é meia-irmã de Adriana.

Silvia Manríquez como Paula, mãe de Guzmán e Beatriz. (Reprodução: Televisa).

O MELHOR DE AMORES VERDADEROS

Nikki e Guzmán

Esse casal roubou a cena a novela toda, a química entre Sebástian Rulli e Eiza González foi instantânea e encantadora. Nikki era mimada, arrogante e problemática, personagem com as chaves ideais para solidificar uma boa construção. A personagem evolui muito ao longo da trama e isso fez dela um grande destaque, junto com a atuação de Eiza que configurou uma garota rica, porém sem a ideia estereotipada de vida perfeita.

Guzmán era totalmente o contrário de Nikki, solidário, humilde e responsável somado com o carisma de Rulli foi um prato cheio para a construção do personagem. Aqui foi uma das melhores performances do ator (se não, a melhor, risos). Nikki e Guzmán representam o modelo de casal preferido do público em produtos como esse.

Nikki e Guzmán foram o casal preferido do público. (Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).

Mónika Sánchez como Cristina

(Foto: Reprodução).

Foi difícil torcer por Arriga e Victória no início, já que Cristina, sua esposa, era uma personagem bondosa, alegre e divertida. Mónika brilhou no papel e teve grande destaque, porém a personagem deixou a trama para que o romance dos protagonistas pudesse, de fato, iniciar. O primeiro beijo de Victoria e Arriaga acontece depois do capitulo 100.

A personagem teve um fim trágico. (Reprodução: Televisa).

Susana González como Beatriz

No quesito personagens femininas, Beatriz foi um grande acerto. Susana imprimiu aqui uma mulher sofrida, batalhadora e com um grande coração. Não lembrava em nada seu trabalho anterior como a malvada Cynthia Monteiro em “La Que No Podía Amar”(A Que Não Podia Amar), também excelente. A personagem fez tanto sucesso que em alguns capítulos tudo gira em torno de seu sequestro.

Beatriz era vítima de violência doméstica. (Reprodução: Telinha Online).

As reviravoltas

A novela podia ser enrolada, às vezes, mas sabia prender o público, característica de um bom folhetim. Sem dúvidas as grandes reviravoltas na história contribuíram para isso, como o fato do grande vilão da história se revelar apenas na última semana.

Salsero e Kendra eram os vilões iniciais da trama. (Foto: Reprodução).
O verdadeiro vilão era Aníbal Balvanera. (Reprodução: Televisa).

A trilha sonora

A trama já iniciava com “No me compares” e tinha para cada casal uma belíssima canção, como “Ahora tú” para Victoria e Arriaga e “Me puedes pedir lo que sea” para Nikki e Guzmán. Essa última é um dueto cantado por Eiza e Marconi.

O núcleo cômico

Era composto pela empregada divertida Polita (Michelle Rodríguez), a qual tinha o sonho de ser uma cantora muito famosa, Tomasina (Raquel Morell) e seu horoscópo chinês e o emotivo Jean Marie (Rubén Branco).

(Reprodução: Televisa).

O PIOR DE AMORES VERDADEROS

Sherlyn como a irritante Liliana

É bem verdade que no início Nikki parecia ser a grande vilã da história, e Liliana mais uma vítima, porém com o tempo, enquanto uma personagem evolui positivamente, a outra se desconstrói totalmente como ser humano, pois ao descobrir ser neta de Aníbal, Liliana se torna arrogante e faz de tudo para atrapalhar o romance de Guzmán e Nikki.

(Foto: Reprodução).

Nos últimos capítulos a personagem está à beira da morte e adivinhem qual seu último desejo? Se casar com Guzmán! (a garota não desiste nunca). Nikki, muito bem madura aceita o último pedido da prima, porém Arriaga não permite que sua filha atrapalhe a vida do casal por causa de um capricho.

(Foto: Reprodução).

A barriga

Não atrapalha tanto a trama, mas convenhamos que se fosse mais curta talvez o fluxo fosse mais positivo. Kendra, por exemplo, passa grande parte da novela sem função, apenas desfilando com fantasias sexuais por seu apartamento, e era a vilã feminina forte da história.

Cinquenta tons de barriga -n. (Reprodução: Telinha Online).
(Reprodução: Televisa).

A direção de cenas

Gritos, carões e muitos slows em cenas de ação, essas são características da direção retrógrada de Salvador Garcini. O diretor até fez um trabalho decente em “Soy Tu Dueña” (A Dona), com exceção de algumas cenas como a morte da personagem Benita (Ana Martin), porém em Amores Verdaderos ele pagou alguns micos.

Victoria dançando e pincelando a tela. (Reprodução: Telinha Online).
Erika precisou se ausentar das gravações e a personagem da atriz foi viajar. Aleatoriamente Victoria aparecia ao som de “Ahora Tú” com os cabelos balançando e uma cachoeira fake no fundo. (Reprodução: Televisa).

CURIOSIDADES

Amores Verdaderos contou com diversas participações especiais como Angélica Vale, Sabine Moussier, Marcelo Córdoba, a cantora Malú, Gabriela Goldsmith, Luis Xavier, Patsy, Renata Flores, dentre outras.

Sabine e Lisardo em cena de Amores Verdaderos. (Foto: Reprodução).
Patsy reprisando seu papel de perua rica de todas as novelas. (Reprodução: Televisa).
Angélica Vale fez uma participação como ela mesma. (Foto: Reprodução).
Marcelo Córdoba entrou na reta final como o médico Vicente. (Reprodução: Televisa).

A novela contou com um casal homossexual, o qual se formou já na reta final da trama, composto pelo cozinheiro da família Balvanera, Jean Marie e o filho de Odette, Stéfano (Archie Lanfranco). Na última semana teve até casamento.

(Foto: Reprodução).

ELENCO

Grandes nomes fizeram parte dessa produção, dentre os quais temos: Erika Buenfil, excelente como Victoria, Eduardo Yañes (muito carismático como Arriaga), Mónika Sánchez, Sebastián Rulli, Eiza González, Ana Martín, Enrique Rocha, Guillermo Capetillo, Natalia Esperón, Silvia Manríquez, Marjorie de Souza, Susana González, Lisardo, Sherlyn, dentre outros nomes.

Rulli fez aqui um de seus melhores personagens. (Reprodução: Televisa).
Yañes também foi um ótimo protagonista. (Reprodução: Televisa).
Erika e Yañez brilharam em seus papéis. (Foto: Reprodução).

MAS VALE A PENA?

Mesmo com algumas falhas, Amores Verdaderos é um excelente folhetim, capaz de atrair qualquer telespectador, entregando uma dosagem de ação, romance, drama e comédia. Aqui Nicandro Díaz foi feliz com essa produção, pois reuniu uma boa história e elenco.

(Reprodução: Televisa).
Novelão cheio dos barracos. (Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
A vilã é devorada por lobos no último capítulo. (Foto: Reprodução).
(Foto: Reprodução).
Liliana e Roy terminan juntos no final. (Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).
(Reprodução: Televisa).

Confira a abertura original da novela:

PONTUAÇÃO: 8.0/10

Deixem sugestões nos comentários, até breve!

Jonathas Lopes

Jonathas Lopes

Amante de teledramaturgia e cinema. Crítico de televisão nas horas vagas, e apaixonado pelo universo Star Wars.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter