Casais homoafetivos de novelas da Televisa, série de Maite Perroni e Élite são reconhecidos em importante premiação voltada ao público LGBTQ+

Vander Dias
Vander Dias
Fonte: Univision

Conforme a Televisa acaba de anunciar, as novelas Amar a Muerte e a série Juntos el Corazón Nunca se Equivoca acabam de ser indicadas ao GLAAD Awards 2020, premiação que visa reconhecer os meios que representam o público LGBTQ+.

A GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation) é uma fundação não governamental criada nos Estados Unidos em 1985 em meio ao ataque a diversidade sexual durante o surto do vírus da AIDS. A instituição tem como objetivo combater o preconceito e integrar a população LGBTQIA+ na sociedade. A premiação em específico que ocorre todos os anos, busca reconhecer àquelas pessoas que estão contribuindo para o combate e erradicação do preconceito ao retratar essa população nos meios de comunicação.

As novelas da Televisa, Amar a Muerte e Juntos El Corazón Nunca Se Equivoca se destacaram justamente pela presença dos casais Juliantina e Aristemo, respectivamente.

Ambas as produções concorrerão na categoria GLAAD Awards em espanhol com as séries “El Juego de las Llaves”, que tem Maite Perroni como protagonista, a série Élite da Netflix e Los Espookys da HBO.

O casal Juliantina foi composto pelas atrizes Macarena Achaga e Barbara López, inclusive a Televisa já confirma uma série e um filme das duas produzida por Billy Rozvar e Carlos Bardasano e deverá contar com o roteiro do escritor Leonardo Padrón, o mesmo da novela.

Juntos El Corazón Nunca Se Equivoca também foi uma série spin-off derivada da novela Mi Marido Tiene Más Família de Juan Osorio e contou com os atores Emilio Osorio e Joaquín Bondoni nos papeis do casal Ari e Temo.

A série Élite (Netflix) também retrata questões de diversidade, no qual se destaca o relacionamento de um casal homossexual, o rico Ander (Arón Piper) e o muçulmano de família humilde, Omar Shanaa (Omar Ayuso).

El Juego de las Llaves (Amazon Prime) é protagonizada por Maite Perroni, Sebastian Zurita e outros, fala sobre um grupo de casais que experimentam a liberdade sexual fugindo da motononia das relações monogâmicas heterossexuais.

Neste ano ainda, a cantora estadunidense Taylor Swift será reconhecida com o Prêmio Vanguard por defender a comunidade LGBTQ+ e a escritora Jane Mock receberá o Prêmio Stephen F. Kolzak por seu trabalho na série Pose do canal FX dos EUA.

Independente de quem vencer o evento já é algo histórico por si só!

Vander Dias

Vander Dias

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter