Com a coluna Direto do México, na revista Minha Novela, Rodrigo Ceribelli reacende interesse do público pela leitura

Cadu Safner
Cadu Safner
Rodrigo Ceribelli ao lado de Maria Antonieta de Las Nieves (Reprodução: Instagram)
Rodrigo Ceribelli ao lado de Maria Antonieta de Las Nieves (Reprodução: Instagram)

A revista Minha Novela, da Editora Escala em parceria com o Grupo Perfil, ganhou o reforço do colunista Rodrigo Ceribelli nos últimos meses. O profissional de 38 anos, natural de Franca, interior de São Paulo, assina o Direto do México, que um dia teve apresentadora e jornalista Chris Flores à frente.

Rodrigo, que também é professor de português e espanhol, é um conhecedor da indústria televisiva mexicana e resolveu fazer dessa sua paixão uma maneira de ganhar dinheiro e notoriedade.

Com todos os desafios impostos pela polarização da informação com o advento da internet e da própria televisão, Ceribelli conseguiu reviver uma das colunas mais populares do mercado de revistas, apostando em entrevistas inéditas e conteúdos de interesse popular que faltava no dia a dia do leitor assíduo por novela.

E não somente alcançou êxito incontestável como também tornou-se figura bem popular entre os próprios artistas mexicanos. Tanto é, que hoje ele é professor particular de português de Maria Antonieta de Las Nieves, a atriz intérprete de Chiquinha do clássico seriado Chaves.

Tive um encontro mágico não somente com a Maria Antonieta, mas também com o Rubén Aguirre (Professor Girafales) mas com Edgar Vivar (seu barriga)“, relembra ele sobre os momentos mais incríveis que viveu em sua passagem pela Cidade do México.

Desde criança eu sonhava conhecer o México e eu pude realizar esse sonho em 2010, mas sem dúvidas, a minha última visita em 2016 foi um divisor de águas na minha vida, até porque eu pude fazer uma visita dentro da Televisa e conhecer vários atores mexicanos.

Também pude encontrar Rebeca Manriquez a eterna Carlota da novela Maria do Bairro e até Andrea Lagunes estrela de Gotinha de Amor.

Em entrevista ao Estrela Latina, Rodrigo Ceribelli revela episódios marcantes da sua vida, a relação com o universo das novelas mexicanas e opina sobre a atual fase dessas produções no SBT e Globoplay. Confira a entrevista completa!

EL – Como aconteceu foi o seu primeiro contato com Maria Antonieta de Las Nieves?

RC – Na verdade meu primeiro encontro com a atriz Maria Antonieta de las Nieves foi mágico, eu a conheci no programa domingo legal eu estava na plateia, vestido de chaves e aí ela veio até a plateia e eu estava ali junto com os fãs, pude dar um presente para ela (que era uma boneca da minha coleção) e foi uma coisa muito surpreendente, porque eu não esperava que ela me desse um beijo no rosto ao vivo no programa, então foi uma coisa inesquecível .

Tive outra oportunidade de conhecê-la na sua própria casa na Cidade do México em 2016, já estava em contato com a filha dela, a Verônica e pude realizar mais esse sonho, onde fui recebido com muito carinho por ela e hoje eu me sinto muito privilegiado de ser o professor de português dela, fico muito feliz com toda essa dedicação dela em aprender o nosso idioma, para que ela já possa estar falando corretamente o português para falar com todos os fãs brasileiros.”

EL – Qual artista mexicano você ainda não entrevistou e sonha com a oportunidade? Por quê?

RC – “Graças à Deus eu pude entrevistar vários artistas mexicanos como Gaby Spanic, Eduardo Capetillo, Daniela Aedo, Juan Soler, Laura Flores e alguns atores de Carrossel que fizeram parte da nossa infância e que fazem tanto sucesso aqui no Brasil com as novelas mexicanas.

Thalía era uma das atrizes que eu que eu tinha um sonho de fazer uma entrevista, mas eu vou te contar em primeira mão, que já estou quase fechando essa entrevista com ela, então para mim isso é tudo um sonho.”

EL – Como fã das novelas clássicas, o que você tem achado do novo modelo de dramaturgia da Televisa, com linguagem infinitamente mais moderna que se aproxima muito de séries e filmes? Tem acompanhado alguma?

RC – “Sim, eu tenho acompanhado as últimas produções da Televisa são muito boas, eu gostei muito dessa desse novo formato que eles vêm trazendo para os telespectadores, mas particularmente eu me identifico mais com as novelas clássicas “novelas rosas” que sem dúvida, são clássicos, que fizeram tanto sucesso no Brasil na década de 90.

E pelo sucesso que tiveram, elas estão de volta por vários streaming como a Globoplay, Amazon Prime vídeo e Claro Vídeo também.

Sou também apaixonado pelas novelas infantis que estão disponíveis hoje pelo canal TLN disponível pela plataforma GUIGO TV, é muito legal rever grandes sucessos como Carinha de Anjo, O diário de Daniela, Maria Belém, Alegrifes e Rabujos que fizeram a infância de muitos fãs brasileiros.

EL – Como fã das novelas clássicas, o que você tem achado do novo modelo de dramaturgia da Televisa, com linguagem infinitamente mais moderna que se aproxima muito de séries e filmes? Tem acompanhado alguma?

RC – “Sim, eu tenho acompanhado as últimas produções da Televisa são muito boas, eu gostei muito dessa desse novo formato que eles vêm trazendo para os telespectadores, mas particularmente eu me identifico mais com as novelas clássicas “novelas rosas” que sem dúvida, são clássicos, que fizeram tanto sucesso no Brasil na década de 90.

E pelo sucesso que tiveram, elas estão de volta por vários streaming como a Globoplay, Amazon Prime vídeo e Claro Vídeo também. Sou também apaixonado pelas novelas infantis que estão disponíveis hoje pelo canal TLN disponível pela plataforma GUIGO TV, é muito legal rever grandes sucessos como Carinha de Anjo, O diário de Daniela, Maria Belém, Alegrifes e Rabujos que fizeram a infância de muitos fãs brasileiros.

EL – Você já se frustrou com algum artista mexicano? Pode nos revelar o motivo?

RC –Na verdade o que aconteceu foi uma falta de experiência do empresário que trouxe essa artista ao Brasil eu fiquei um pouco frustrado com a falta de organização deste evento.

Foi com a atriz Dulce Maria, acredito que o empresário que a trouxe, não tinha experiência ainda, porque foi algo muito desgastante, você ficar 2 horas numa fila aguardando debaixo de um sol para participar do Meet Greating e depois não conseguir entrar no show porque já estava super lotado o local do evento.

EL – Como surgiu o convite para ser colunista na Minha Novela? Estava entre seus objetivos? Você esperava tamanho alcance nas redes sociais com este trabalho?

RC – “Na verdade, foi uma surpresa muito grande para mim e mais uma realização de um sonho profissional , como eu sou amigo do diretor de redação da revista Minha Novela, ele já conhecia o meu trabalho e principalmente já sabia de todo o meu conhecimento que tenho nesse mundo latino.

Fiquei muito feliz de ter tido essa grande oportunidade de ser o colunista do direto do México e agradeço muito ao Jorge [Luiz Brasil] por toda essa confiança e oportunidade.”

EL – O SBT já representou muito na importação de dramaturgia mexicana. No entanto, hoje ela usa essas produções apenas como ‘tapa-buraco’ na grade e não faz qualquer investimento maior (que não a dublagem). Como você enxerga essa relação desgastada entre a emissora com a Televisa e qual a sua opinião sobre a migração das produções, tanto as clássicas quanto as novas, para plataformas de streaming como o Globoplay?

RC- “Seremos sempre gratos ao canal SBT, porque foi através desse canal que as novelas mexicanas, chegaram na nossa casa e fizeram parte não só da minha infância, mas de muitos outros brasileiros.

Só que com o decorrer dos anos a emissora deixou muito à desejar por vários motivos (não ter uma novela mexicana no horário nobre, excesso de reprises, várias novelas inéditas engavetadas e também pelas “tesouradas” que sofrem as tramas).

Uma opção seria a criação de uma plataforma do SBT, com todo o acervo dessas novelas que fizeram história aqui no Brasil, na minha opinião, as reprises se enquadram somente em streaming e assim o canal poderia investir mais nas tramas inéditas.

Como o SBT não tem mais essa exclusividade com a Televisa, vários streamings estão de olho nessas tramas que fizeram tanto sucesso por aqui e pelo o mundo inteiro. Chaves foi um dos primeiros programas que a rede Globo exibiu na plataforma do Multishow e com o enorme sucesso que teve, não me surpreendeu nada que logo pudesse chegar um pacote de novelas mexicanas, agora vamos aguardar as próximas aquisições!”

CONSIDERAÇÕES!

Quero aproveitar esse espaço, e dizer para todos os leitores conhecerem o meu trabalho na revista Minha Novela e também nas minhas redes sociais, que sempre estarei trazendo essas entrevistas exclusivas e inéditas para vocês e agradeço aos leitores que estão sempre me mandando pedidos, mensagens de carinho e de agradecimento!

Cadu Safner

Cadu Safner

Jornalista e editor-chefe do site Estrela Latina (Metrópoles), repórter com passagens na RedeTV!, Band, AllTV e no portal Terra. Desempenhou funções em editoriais de moda, política, policial e também assina a coluna Holofote, no site Observatório da TV (UOL).

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter