Uma Rom-Com fora do convencional: Primeiras Impressões de “Gizli Saklı”

Jonathas Lopes
Jonathas Lopes
Crítica da estreia de Gizli Saklı (Foto: Reprodução/Fox Turquia)

Após a estreia de Senden Daha Güzel na terça-feira (07/06), na quarta foi a vez de Gizli Saklı debutar nas telas da emissora Fox na Turquia. A produção é assinada pela empresa No Dokuz Productions (Amor, Lógica e Vingança). Desta vez, o roteiro está a cargo de Şahin Altuğ, o qual também se aventura na direção do projeto.

A comédia romântica conta com as atuações de Halit Özgür Sarı (Kardeşlerim) e Sinem Ünsal (Um Milagre) nos papéis protagonistas. Além disso, o elenco ainda é formado por nomes como Şebnem Sönmez, İdris Nebi Taşkan (Sra. Fazilet), Tardu Flordun (Mil e Uma Noites), dentre outros.

Por outro lado, uma curiosidade da novela (dizi) é a produção executiva gerenciada pela atriz Yağmur Ünal (Dolunay), filha da renomada atriz do cinema turco “A Sultana” Turkan Soray.

Qual a história?

Naz (Sinem) acabou de obter seu título como policial em uma importante Academia de Istambul. Para começar, a jovem acaba sendo escolhida para se unir ao também policial Pamir (Halit). Os dois devem se infiltrar na família de um poderoso chefe do crime organizado. No entanto, para isso, eles precisam passar por um casal recém-casado. Assim sendo, agora como Yaz e Levent, os dois precisarão lidar com suas diferenças e driblar esse criminoso da pesada.

Como foi a estreia?

No primeiro capítulo Naz consegue se formar na Academia de Polícia de Istambul, mesmo sua mãe insistindo que ela se sairia melhor como Enfermeira. Em seguida, a jovem se depara com uma possível ameaça, todavia, ela acaba confundindo um policial chamado Pamir com um criminoso.

Ao mesmo tempo, um contrabandista na mira da polícia chamado Tarık (Tardu) acaba de receber seu sobrinho – Tufan (İdris) – que está saindo da prisão. Assim sendo, a fim de pegar o bandido de uma vez por todas, o delegado Sadullah (Selçuk Borak) decide elaborar uma nova missão.

Para isso, ele escolhe uma das melhores alunas da Academia e um jovem policial muito habilidoso. Tratam-se, portanto, de Naz e Pamir – que não tiveram um encontro à primeira vista muito agradável.

Nesse sentido, mesmo relutantes em trabalhar juntos, Naz e Pamir acatam as ordens de seu chefe. Enquanto Pamir acha que Naz é inexperiente demais, ela julga o policial pelo seu ego em demasia.

Entretanto, para dar início à missão, os dois precisam se disfarçarem de um casal recém-casado, os quais serão os novos vizinhos de Tarık e sua família. Nesse caso, o plano é simples: eles precisam se tornar tão próximos do criminoso como se fossem da família, pois Tarık só coloca em seus negócios quem é próximo dele.

A instalação do arco central

A missão tem um prazo de duração de 3 meses, e para isso, Naz e Pamir precisam assumir uma nova vida. Assim sendo, para despistar a família da Naz, os fazem acreditar que a jovem vai passar por um treinamento em Londres. Por outro lado, o tio da garota acaba conseguindo um emprego de segurança em um condomínio de luxo, o qual resulta ser o mesmo que Naz e Pamir passarão a viver agora com suas identidades falsas.

Após se instalarem na vizinhança, os policiais acabam sendo convidados pela esposa de Tarık para um jantar de boas-vindas. Enquanto isso, um dos homens do bandido entra na casa dos dois para averiguar se eles são mesmo quem dizem ser.

Foi uma boa estreia?

O enredo de Gizli Saklı possui a estrutura mais comum de comédias românticas. Isto é, a linha de opostos que se detestam, mas tem tudo para se apaixonarem ao longo da história. Todavia, nesse caso há um elemento adicional – o arco envolvendo a missão policial.

Dessa forma, existe um movimento de ação em torno do desenrolar dos eventos. Ou seja, o público sabe que durante 3 meses os protagonistas estarão expostos a grande ameaça de serem descobertos. Ademais, também há a figura de um vilão físico, nesse caso, papel de Tarık. Embora pareça bobagem explicar a estrutura da narrativa, ainda é necessário visto que outras produções do gênero esquecem disso.

Dito isso, felizmente Gizli Saklı é um folhetim que respeita esses elementos e no primeiro episódio já é capaz de cativar o público desse gênero.

O ruim

Por outro lado, o texto escorrega no óbvio e na caricatura. Apesar de ser uma comédia romântica, alguns diálogos soam totalmente absurdos tendo em vista a seriedade do plot central da história. Por exemplo, em uma missão de alto risco Naz e Pamir tem umas conversas que claramente evidenciam que os dois estão vivendo personagens.

Ademais, o texto dado ao vilão soa extremamente caricato. Nesse caso, estamos falando de um perigoso contrabandista, e não um bobo da corte. Ainda nessa linha, a personagem Naz é exposta ao ridículo em vários momentos, como se a figura feminina fosse tão incapaz de seguir uma missão séria como a do enredo.

Não quero trazer nenhuma ideologia para discussão, porém é tão claro isso no texto que chega a causar incômodo. Estamos em pleno 2022 e trazer à tela personagens femininas inteligentes e com personalidade é essencial.  

Parte técnica

Também se aventurando na direção, Şahin Altuğ entrega um bom trabalho nessa abertura. Além disso, a trilha instrumental que faz referência à vários clássicos de espionagem é muito atraente.

Como de praxe em toda comédia romântica da Turquia, o colorido toma presença na maioria das cenas. Entretanto, a escolha dos tons não beira o exagero e a experiência em tela é satisfatória.

Por outro lado, o folhetim também escorrega na ausência de uma abertura. De fato, não entendo a preguiça da produtora em elaborar uma entrada. Por certo, em Amor, Lógica e Vingança também repetiram esse mesmo descaso, o qual só foi corrigido na versão internacional da novela.

Atuações

Nesse primeiro momento, todos os atores estão muito bem em seus papéis. É curioso porque geralmente leva um tempo até o artista entrar no personagem a ponto de fazer dele uma marca (alguns nem isso conseguem).

Porém, de destaque temos o casal protagonista, ambos muito bem em tela e ainda que não tivemos nenhuma demonstração de afeto, a química dos dois já é bem visível. Já no campo coadjuvante e antagonista, os atores Şinasi Yurtsever e Tardu Flordun são os destaques. Esse último, apesar do texto caricato em alguns momentos, ainda assim consegue chamar atenção.

Palavra final: Gizli Saklı é uma comédia romântica atraente, ainda que com alguns exageros do gênero. Todavia, há um enredo com potencial, basta agora ter um bom desenvolvimento.

Nota: 8,0/10,0

Jonathas Lopes

Jonathas Lopes

Amante de teledramaturgia e cinema. Crítico de televisão nas horas vagas, e apaixonado pelo universo Star Wars.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter