Intérprete de Chiquinha relembra mágoa com Roberto Bolaños após o cancelamento de Chaves: “Se sentia velho”

Vander Dias
Vander Dias
Chaves (Divulgação: Televisa S.A.)
Chaves (Divulgação: Televisa S.A.)

Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha do seriado ‘Chaves’ seguiu dando entrevistas aos meios de comunicação do México, e desta vez, ela relembrou um dos piores momentos de sua carreira, que na sua concepção foi quando lhe deram a notícia de que o humorístico não seria mais produzido nos anos 90.

A atriz relata que ela e seus colegas foram pegos de surpresa quando Roberto Gomez Bolãnos, criador e intérprete de Chaves decidiu acabar com o formato, o qual na época sobrevivia apenas como uma esquete dentro do programa ‘Chespirito‘, criação do mesmo.

“Chespirito quis terminar com Chaves. Tínhamos várias esquetes no programa e esta era a principal. Ficou um semana sem fazer e não disse nada. Na semana seguinte, muito menos e quando eu perguntei ele me disse que já não ia ser mais produzido”, relembra Maria Antonieta.

A dona da carismática Chiquinha e de outros personagens no universo de Bolaños recorda que o chefe e também colega disse que não tinha obrigação de explicar para ela os motivos para o fim da atração já que os personagens pertenciam a ele, mas reitera que o ator já se sentia muito velho para o papel de um menino de oito anos de idade.

“Ele se sentia mais cômodo com seus outros personagens. Foi estranho porque ele não disse a ninguém. Quando eu o questionei, me disse que nunca mais ia fazer ‘Chaves’, e me doeu muito”.

Insatisfeita com o fim, Nieves questionou a empresa, a Televisa, e o próprio Roberto alegando que a Chiquinha era de sua posse, pois ela já atuava como a menina espivetada da vila tempos antes do programa ir ao ar.

A mexicana comentou que queria seguir trabalhando na TV e chegou a gravar um piloto de um programa humorístico que não foi adiante. Então, o dono da Televisa lhe propôs que fizesse um filme da Chiquinha, apesar que Roberto Bolaños fosse contra.

Em uma turnê  na Argentina, escrevi o filme, meu roteiro, as minhas canções, quando voltei ao México fiz o filme e funcionou muito bem”, pontua ela.

Passado muito tempo entre conflitos e disputas pela posse de “Chiquinha”, Nieves hoje é legalmente a dona da marca e segue se apresentando com ela mundo afora.

Para o ano que vem,  a THR3 Media Group e o grupo Chespirito, liderado pelo filho do comediante, Roberto Gómez Fernandez, preparam uma biosérie sobre a vida do pai e ídolo de uma grande legião de fãs. Questionada se irá participar do projeto, Maria Antonieta apenas comentou “Ninguém me falou sobre essa série”, desconversou.

 

Vander Dias

Vander Dias

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter