O gênero novela na TV: a difusão de um formato

Jonathas Lopes
Jonathas Lopes
Novela pantanal da Rede Globo (Foto: João Miguel Junior/Globo)
Novela pantanal da Rede Globo (Foto: João Miguel Junior/Globo)

Presente na televisão há décadas, as telenovelas conquistaram a América Latina. Em seguida, o formato rompeu fronteiras e chegou até a Europa, Ásia e outros continentes, onde contribuiu para a difusão de um gênero hoje parte de um produto maior.

No entanto, esse conteúdo tão popular esbarra em um conceito ignorado: a novela é um gênero literário. Dito isso, é importante reconsiderar as origens desse termo e como o mesmo tem sido reinventado nas últimas décadas.

Os streamings e a novela

Atualmente com o sucesso dos streamings, algumas dessas plataformas têm aderido à aquisição de novelas. No entanto, quando lançadas no catálogo, as mesmas aparecem descritas como série e o público se depara em uma grande confusão.

De certo modo, isso acontece pois na América Latina estamos acostumados a tratar séries e novelas como dois produtos diferentes. No entanto, a novela sempre foi uma série de TV, e o termo que a define na verdade é seu gênero. Por outro lado, na Europa e outras partes do mundo esse conceito está muito claro e o termo “série de TV” é algo comum para qualquer ficção.

Novela: o folhetim se apodera das séries de TV

Para começar, a novela como gênero literário se difundiu a partir do romance de folhetim. Nesse caso, histórias de romance publicadas em jornais que se popularizaram em diversas partes do mundo. Por certo, tratavam-se de enredos divididos em partes – chamadas capítulos – e que se estendiam por meses.

Mais tarde, esse modelo de enredo adentrou o universo da TV, dessa forma embarcando no mercado através das séries de televisão. Todavia, na América Latina o impacto foi tão grande que o termo novela migrou para a TV não como série, mas como a telenovela. Logo, por costume, as partes da telenovela continuaram a ser chamadas de capítulos.

Contudo, é importante ressaltar que esse é um termo reservado para livros. Assim sendo, na narrativa seriada – caso da novela – a expressão mais correta seria episódio.

De fato, isso aconteceu pois eram modelos de histórias bem específicos. Assim sendo, narrativas com elementos dramáticos, como um casal apaixonado, vilões, intrigas e núcleos familiares. Porém, com o tempo esses arquétipos logo foram abrindo espaço para estilos narrativos inovadores.

Nesse sentido, por questões históricas, as telenovelas acabaram se firmando como um produto isolado. Isso aconteceu pois até meados dos anos 90 era fácil diferenciar as séries de TV americanas dos folhetins. Enquanto as séries americanas adotavam uma narrativa procedural, os dramalhões latinos seguiam pelos conflitos contínuos.

Porém isso não durou muito, e logo as séries americanas passaram a adotar narrativas contínuas, ainda que com menos episódios. Ademais, durante os anos 70 nos EUA também se difundia o gênero soap opera, que não são novelas como as do Brasil, no entanto possuem os mesmos elementos.

A telenovela no Brasil

Aqui no Brasil a novela tem passado por muitas mudanças. Antes era um produto simples voltado para o entretenimento do público. Todavia, atualmente tem aderido narrativas diversas e técnicas de cinema, o que leva um gênero simples a algo mais diverso e até complexo.

Por isso, o melodrama está enraizado na cultura audiovisual do país. Nesse caso, fica muito claro quando alguma produtora decide investir em narrativas mais próximas dos EUA, e acaba esbarrando no folhetim. Assim sendo, exemplos não faltam como Coisa Mais Linda (2019 – 2020) e a mais recente, Maldivas (2022), ambas da Netflix.

A telenovela nos EUA

Enquanto isso, nos Estados Unidos o gênero se manisfestou através das soap operas. Por certo, essas são séries que não possuem previsão de término e geralmente são exibidas na faixa da tarde.

Além disso, em determinada época as chamadas séries teen como The O.C. (2003 – 2007) e Gossip Girl (2007 – 2012) acabaram se convertendo em um novo estilo de soap opera, porém focado em um público mais jovem.

Ainda nesse caso, outro exemplo de novela americana é Grey’s Anatomy (2005 – atual), um drama médico que acumula 18 temporadas até o momento. Aqui no Brasil a série estreou no SBT em 2008 com o seguinte anúncio: “Você sabia que o povo americano também gosta de novelas?“.

A título de curiosidade, nos EUA as séries são divididas em temporadas. No entanto, o que muitos não imaginam é que isso se deve a uma estratégia para captar audiência. Isto é, geralmente as séries entram no ar após o verão (fall season) para fugir das altas temperaturas, férias escolares e queda de audiência. Somente por isso as tramas acabam tendo seus episódios agrupados em grandes partes. Mesmo assim, isso acabou virando tendência e hoje independente disso, uma série ter temporadas é sinal de que o produto está fazendo sucesso.

A telenovela mexicana

No México e em outros países do continente latino, a novela seguiu passos mais tradicionais. Nesse sentido, o gênero por muito tempo ficou refém de narrativas simples e produções sem muito luxo.

No entanto, nos últimos anos novos subgêneros tem tomado conta desse mercado como as bioséries e as narconovelas. Assim, mais uma vez o gênero se expande, o que dificulta cada vez mais torná-lo algo diferente e exclusivo.

A telenovela turca

Até 2014 ninguém no ocidente imaginava que a Turquia poderia produzir folhetins. Todavia, a partir do momento que o Chile abriu a porta para essas ficções, o fenômeno tomou grandes proporções e perdura até hoje.

Enquanto na América Latina as ficções turcas ficaram conhecidas como novelas, no país otomano elas são batizadas de um título exclusivo: dizi (singular) e/ou diziler (plural). De fato, o sucesso dessas produções foi tanto que elas conseguiram espaço no Emmy Internacional a partir de 2017 com Kara Sevda.

Ainda assim, no território turco também há ramificações da série como um produto. Desse modo, lá são produzidas comédias românticas, dramas urbanos, dramas regionais, além de séries focadas em crime com recheio de melodrama.

A telenovela dos países asiáticos

Diante desse fenômeno, os países asiáticos também não ficaram de fora. Dessa forma, os populares doramas se familiarizam com o gênero novela de tal forma que em 2021 o drama chinês The Song of Glory ganhou como Melhor Telenovela no Emmy Internacional.

Todavia, essas são produções mais curtas e que possuem um elenco mais reduzido. Ainda assim, apresentam enredos preenchidos com drama e romance – elementos chave de um folhetim.

A novela no mundo

Por fim, é perceptível como as séries de TV têm se reinventado ao longo dos anos. No entanto, a novela como um dos gêneros mais antigos na telinha, ainda é resgatado em diversas produções ao redor do mundo.

Jonathas Lopes

Jonathas Lopes

Amante de teledramaturgia e cinema. Crítico de televisão nas horas vagas, e apaixonado pelo universo Star Wars.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter