Whatsapp x

Fale com Agente :)

11983495309

Enviar
email x
[email protected]
Parasita rompe barreiras e faz história no Oscar, confira os vencedores!
Siga-nos

Publicados

em

Foi ao ar na noite do último domingo, 09 de fevereiro, a 92ª edição do Oscar, evento mais importante que celebra os melhores filmes do ano em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Apesar das muitas críticas de que neste ano não houveram tantas indicações para artistas negros, a cerimônia acabou sendo marcada por um momento histórico, a consagração de um filme em língua estrangeira levando o título de melhor filme do ano.

Elenco de Parasita, filme sul coreano / Foto: Reprodução

Parasita, filme sul-coreano desbancou os concorrentes e teve todos os reconhecimentos por parte da academia, e acabou levando para casa o maior número de estatuetas, um total de quatro, nas categorias “Melhor roteiro original”, “Melhor filme internacional”, “Melhor diretor” e “Melhor filme”.

Até mesmo o diretor do longa, Bong Joon Ho que esteve sempre ao lado de sua intérprete de inglês, demonstrou-se surpreso com este fato inédito em quase cem anos de premiação. Nunca um país em uma língua que não seja o inglês havia ganhado tantos prêmios principais.

Bong Joon Ho, diretor de Parasita / Foto: Reprodução

De fato, isso ocorre devido à mudanças que a academia vem implantando tentando reparar injustiças históricas relacionadas à falta de diversidade, algo que constantemente se torna voz dos discursos endossados pelos artistas. Joaquin Phoenix, por exemplo, venceu o prêmio de melhor ator por Coringa e aproveitou sua fala para enaltecer as lutas pelo que chama de injustiças sociais. No BAFTA, uma espécie de Oscar britânico, o ator já havia criticado a ausência de artistas negros neste ano, e aproveitou cada minuto de suas vitórias para divulgar as causas sociais às quais acredita.

Joaquin Phoenix em seu discurso / Foto: Reprodução

Após um ano turbulento com a vitória do polêmico “Green Book: o guia”, esta edição do Oscar se mostrou mais inclusiva e disposta ao diálogo. Destaca-se também o maior número de mulheres vitoriosas nas categorias técnicas e as indicações para múltiplas nacionalidades em categorias como curta-metragem, animação e documentário. Nesta última categoria, tivemos a brasileira Petra Costa concorrendo com seu documentário “Democracia em Vertigem”, o qual aborda os fatos que levaram ao impeachment da então presidente da república, Dilma Roussef. Infelizmente, em meio a tanta concorrência não deu para o Brasil, porém, o filme foi lembrado pelos vencedores da categoria que levaram com “Indústria Americana”.

Outro momento sem dúvida que reforçou o espírito de diversidade foi a apresentação musical do elenco de Frozen liderada por Idina Menzel e Aurora, que colocaram diversas cantoras para cantar o tema do filme em suas respectivas línguas. Memorável!

 

Confira os vencedores da noite:

 

Melhor Filme: Parasita

Filme Internacional: Parasita

Ator: Joaquin Phoenix – Coringa

Atriz: Renné Zellweger – Judy

Ator coadjuvante: Brad Pitt – Era Uma Vez em Hollywood

Atriz coadjuvante: Laura Dern – História de um Casamento

Diretor: Bong Joon Ho – Parasita

Roteiro Original: Parasita

Roteiro Adaptado: Jojo Rabbit

Animação: Toy Story 4

Curta Animado: Hair Love

Curta-metragem em Live Action: A Janela dos Vizinhos

Documentário: Indústria Americana

Documentário (Curta-metragem): Aprendendo a Andar de Skate em uma Zona de Guerra (Se você for uma menina)

Figurino: Adoráveis Mulheres

Cabelo e Maquiagem: O Escândalo

Edição: Ford vs Ferrari

Fotografia: 1917

Efeitos Visuais: 1917

Música Original: (I’m Gonna) Love Me Again – Rocketman

Trilha sonora: Coringa

Edição de som: Ford vs Ferrari

Mixagem de som: 1917

Montagem: Era Uma vez em Hollywood

 

 

 

 

Comentários

OUÇA O NOSSO PROGRAMA

Postagens Recentes