Duas órfãs e um destino: Primeiras Impressões de “Gülümse Kaderine”

Jonathas Lopes
Jonathas Lopes
Fox Turquia estreia sua nova novela Gülümse Kaderine (Foto: Reprodução/Fox Turquia)

Em pleno Ramadã, a Fox Turquia estreou uma nova novela (dizi) nas noites de quarta-feira. Trata-se de Gülümse Kaderine (Sorria Para o Destino) a cargo da produtora Avşar Film (Fazilet Hanım ve Kızları). Assim sendo, o primeiro episódio do folhetim foi exibido na última quarta-feira (27/04).

Ademais, a produção é estrelada por um elenco jovem com os nomes de Bahar Şahin (Minha Vida), Sude Zülal Güler (Kazara Aşk) e Doğan Bayraktar (Hercai) nos papéis centrais. Por outro lado, o elenco veterano está composto por estrelas como Mine Tugay (Medcezir) e Burak Sergen (Kara Sevda).

A propósito, esse drama marca o retorno do produtor Şükrü Avşar à TV após o sucesso de Zalim İstanbul (2019-2020). Desse modo, esse novo projeto do showrunner conta ainda com a escritora Burcu Över (Kırgın Çiçekler) a cargo do roteiro, e o diretor Aytaç Çiçek (Erkenci Kuş) no comando da direção.

Qual a história?

Faça das crises as grandes oportunidades, afinal, a vida já tirou muito das pessoas, não é?

A trama é centrada nas jovens órfãs Eda (Bahar) e Yaren (Sude), as quais vivem juntas em um orfanato onde cresceram como irmãs. Enquanto Yaren se prepara o vestibular, Eda imagina uma vida de luxo ao lado do namorado Can (Yalçın Hafızoğlu). Contudo, os planos de Eda vão por água abaixo quando ela descobre que Can está noivo de outra mulher. Além disso, uma manobra do destino coloca as duas amigas no meio de grandes inimigos, armações e muitas reviravoltas, além de um grande segredo do passado.

Como foi a estreia?

Seguindo a mesma linha de produções anteriores da Avşar Film, Gülümse Kaderine não é totalmente um conto de fadas, mas uma trama que se propõe às mais extravagantes situações, além do excesso de coincidências. Isto é, um circo de respeito, e isso fica claro nos primeiros 40 minutos do capítulo.

Apesar de apresentar uma história sem muitas novidades, a trama é instigante e envolvente. Além disso, a narrativa contém elementos que satisfazem qualquer fã de novela rosa (como esse colunista). Assim sendo, é impossível não ficar curioso com o desenvolvimento do enredo, ainda que o drama soe familiar.

No quesito direção, o folhetim contém um trabalho que se enquadra dentro da proposto. Nesse sentido, não há que esperar cenas artísticas como outras produções da Turquia, pois a ideia aqui é entregar um dramalhão com closes, cenas mais longas e instrumentais pesados. Somado a isso, a trama possui um charme particular marcado pela fotografia com tons de vermelho.

Papéis reprisados

Por falar em familiaridade, as atrizes Bahar Şahin e Mine Tugay parecem repetir a mesma dupla de Zalim İstanbul. Assim, pelo menos nesse primeiro momento, as personagens das atrizes possuem um perfil parecido a desse outro folhetim. Nesse caso, até o cabelo e estilo de Mine é o mesmo da produção anterior.

Além disso, os personagens de Sude Zülal Güler, Doğan Bayraktar e Yalçın Hafızoğlu lembram o triângulo amoroso de Fazilet Hanım. Contudo, nesse caso, não há a ideia de um triângulo a princípio. Porém, determinadas situações nesse primeiro momento lembram bastante os personagens principais desse outro melodrama da mesma produtora.

Atuações

A produção usa e abusa de rostos jovens e modelos. Por falar nisso, a representante Miss Mundo da Turquia em 2017, Aslı Sümen, também agrega o elenco, dessa forma esse sendo o seu terceiro trabalho seguido na atuação.

Ademais, em termos artísticos o grande (e talvez o único) destaque é Bahar Şahin com uma personagem impulsiva. Por outro lado, Sude Zülal Güler possui carisma e presença em cena, mas falta técnica dado a carga dramática de sua personagem.

No entanto, não se pode dizer o mesmo do elenco masculino jovem. Nesse caso, os atores apenas cumprem a cota de beleza, com direito a closes estratégicos da direção.

Elementos Folhetinescos

Quando uma produção se propõe a ser circo, o ideal é que siga uma linha que satisfaça esse estilo. Ou seja, não há necessidade de vender algo conceitual, uma vez que a ideia é totalmente outra. E nesse caso Gülümse Kaderine não deve em nada. Dessa forma, o enredo é, desde a primeira cena, um folhetim declarado. Contudo, é interessante destacar algumas situações que comprovam isso.

– Protagonistas melodramáticas

A raiz de um bom folhetim é ter personagens principais que sofrem, choram e dão a volta por cima. Isto é, características que aproximam eles do público por meio da empatia. Nessa perspectiva, a jornada das órfãs Eda e Yaren cae como uma luva. Enquanto Eda foi jogada na lixeira por sabe lá quem, a mãe de Yaren foi assassinada ainda grávida da mocinha.

– Intrigas Familiares

É primordial ter barraco em cena para dar visibilidade a um bom circo. Assim sendo, intrigas familiares é o melhor caminho para dar lugar ao caos. Tendo em vista isso, nesse drama o que não vai faltar, sem dúvidas, é uma boa dose de conflitos, como a disputa pela empresa da família; primos disputando um mesmo amor; um amor obsessivo; empregadas fofoqueiras, filhos bastardos e muito mais.

– Segredos do Passado

E claro, não pode faltar aquela sensação do giro de 360 graus. Desse modo, a trama de Yaren ganha força, uma vez que a órfã é, na verdade, filha de um grande milionário que provavelmente desconhece sua existência. Ademais, a esposa do pai da órfã, Neval (Mine Tugay), é uma víbora e com certeza fará de tudo para fazer da vida de sua enteada um inferno.

Ainda nessa pegada, um mistério envolvendo a morte da mãe de Yaren assombra o enredo. Portanto, em breve devem surgir mais respostas em torno dessa situação que será uma porta para novos conflitos.

– Romance

Por fim, não poderia faltar o elemento chave de uma trama rosa: o romance. A princípio, o enredo apresenta os protagonistas vividos por Sude e Doğan. Nesse caso, os personagens vão de um extremo ao outro no mesmo episódio. Ou seja, de um encontro com direito a troca de olhares a uma discussão minutos depois. Será que vem mais um enemy to lovers?

Palavra Final: Gülümse Kaderine possui um enredo com bastante potencial, arcos dramáticos interessantes e uma boa dose de entretenimento garantido.

Nota: 8,5

Confira o trailer do segundo episódio:

Jonathas Lopes

Jonathas Lopes

Amante de teledramaturgia e cinema. Crítico de televisão nas horas vagas, e apaixonado pelo universo Star Wars.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter