Traições são servidas sem moderação em ‘Patricia, una pasión escondida’

Cláudio Oliveira
Cláudio Oliveira
Fabíola Campomanes como Patricia Bencomo e Gabriel Coronel como Pablo Trajo em ‘Patricia, una pasión escondida’ (Reprodução/ Amazon Prime Video).
Fabíola Campomanes como Patricia Bencomo e Gabriel Coronel como Pablo Trajo em ‘Patricia, una pasión escondida’ (Reprodução/ Amazon Prime Video).

O filme do diretor Axel Uriengas aborda vários temas e quebra de tabus. Um dos exemplos que mais destaca no enredo é o da Patricia Bencomo (Fabíola Campomanes), psicóloga que trabalha com terapia de casais e vive em um frustrante casamento.

Com isso, Patrícia se vê obrigada a descobrir novos prazeres, procurando se masturbar pensando no professor sarado do yoga, mostrando que existem várias possibilidades de ser feliz sozinha.

Encontramos também no drama Pablo Trajo (Gabriel Coronel), estudante de psicologia que adora gravar as suas relações sexuais com mulheres mais experientes, digamos assim.

Outra coisa fervente será a briga de Pablo e o marido de uma de suas ficantes, que terá um desfecho surpreendente. Além do mais, o filme é regado de outras traições e exibe várias cenas quentes.

Falando em sacanagem, o filme também faz um retrato sobre falsas amizades e deixa bem transparente que para trair alguém não existem barreiras, e, em muitas vezes, essa artimanha pode vir até mesmo da melhor amiga. Patricia que o diga!

Não espere um filme muito dramático. Em determinados momentos tem romance surgindo no ar e, em algumas consultas de Patricia, os casos apresentados, e, da forma que são tratados, parecem até comédia.

Ah, não recomendo assistir em casal.

O filme Patricia, una pasión escondida está disponível no Amazon Prime Video.

Cláudio Oliveira

Cláudio Oliveira

É repórter e colunista.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter