Vencer el [email protected]: uma mensagem de sororidade e conscientização virtual

Jonathas Lopes
Jonathas Lopes
Crítica final de 'Vencer el Pasado'. (Foto: Divulgação).

Chegou ao fim nesta última sexta-feira (05/11) a telenovela mexicana Vencer el Pasado, uma produção a cargo da produtora Rosy Ocampo (A Feia Mais Bela), e que faz parte de uma sequência de melodramas com a assinatura ‘Vencer’ no título.

De que se trata?

A trama principal é centrada na vida de quatro mulheres, Renata (Angelique Boyer), uma bióloga cancelada nas redes sociais por um beijo; Carmen (Erika Buenfil), uma senhora rica de Puebla que é obrigada a se mudar para a Cidade do México após seu marido ‘perder tudo’ e fugir com a amante, enquanto ela tem que lidar com os comentários da população após nudes do esposo vazados na rede; Mariluz (Arantza Ruiz), uma jovem do interior que tem fotos íntimas divulgadas na rede pelo seu namorado e Danna (Ana Paula Martínez), uma adolescente de 14 anos capaz de tudo para conseguir likes na internet.

Principais arcos narrativos

A origem de Renata

O grande arco da novela é em torno da jornada da protagonista Renata, a qual tem seu kit de DNA roubado pelo ex-noivo, Alonso (Horacio Pancheri). Após o cancelamento nas redes por ter beijado um desconhecido em sua despedida de solteira, a bióloga recebe o título virtual de ‘Lady Cuernos’, e por isso perde seu emprego, tendo que recorrer a outros laboratórios em busca de trabalho.

Acontece que todos preferem acreditar na palavra de Alonso, em vez da declaração de Renata, e isso a coloca como a grande vilã da situação.

Numa dessas tentativas, Renata consegue uma vaga no labotório Biogenelab, porém não é muito bem recebida pela filha do dono, Fabíola (África Zavala) uma mulher com postura feminista, mas que na verdade é cheia de preconceitos em torno das mulheres.

Com o tempo, Alonso também passa a trabalhar no mesmo local, com o objetivo de desenvolver o kit ‘Atavico’, o qual ele roubou de Renata e agora não sabe como proceder. Sem saída, Renata é obrigada a desenvolver seu próprio trabalho, porém dando título a outra pessoa.

O grande arco dramático inicia quando a bióloga descobre que padece da Doença de Wilson, uma enfermidade rara e degenerativa. Para salvar sua vida, Renata precisa receber com urgência um transplante de fígado. Parece uma tarefa fácil, porém tudo se torna agonizante quando ela descobre que seus pais que a criaram desde bebê não são sua família biológica. Porém o curioso é que nem os próprios pais sabiam desse fato. (Chocado!).

Em busca de seu passado para salvar sua vida, Renata consegue os dados da enfermeira que realizou a troca dos bebês na maternidade e sua única chance de saber o paradeiro de alguns de seus pais. Além disso, também descobre que seu verdadeiro nome é Alondra. Contudo, recebe mais uma grande bomba: ela é fruto de um estupro, e sua mãe desapareceu.

A vingança de Darío/Mauro

Outro arco que tomou boa parte da novela foi a busca por vingança do personagem Mauro/Darío (Sebastián Rulli). O moço boa pinta se infiltra na Biogenelab como mais um funcionário; intriga com Renata; vive uma relação sem compromisso com Fabíola; e ganha a confiança de Lisandro (Leonardo Daniel). Todavia, as reais intenções do anti-heroi é vingar a morte e a imagem do pai, o qual todos acreditam ter violado sexualmente uma jovem há 30 anos.

Segundo Darío, o empresário Lisandro era responsável por tudo de ruim que culminou na morte de seu pai. E ele estava errado? De forma alguma. O velho ambicioso realmente não era o exemplo de profissional que todos acreditavam, pois, além de ter prejudicado o pai de Darío, ele também foi responsável por outras atrocidades como matar o próprio filho, Javier (Ferdinando Valencia) o qual não era seu filho biológico e por isso tratou de prejudicar o rapaz em todas as circunstâncias, além de menosprezar sua esposa Brenda (Gabriela Rivero), fazendo a desacreditar em si mesma em diversas situações.

Os preconceitos de Carmen

Após perder tudo, e tendo que recomeçar do zero com seus três filhos na Cidade do México, Carmen procura a ajuda de Brenda, sua amiga da juventude e que perdeu contato há anos. A partir de então, ela passa a trabalhar na Biogenelab como recepcionista, um cargo que ela julgava abaixo do que realmente merecia.

A personagem foi marcada por seus altos e baixos em torno de seus preconceitos, como questionar as conquistas de Renata afirmando que ela tinha um caso com o empresário Lisandro; julgar seu filho mais velho, Ulises (Sebastián Poza), por sua postura fora dos padrões masculinos, o que fez ela expulsar o filho de casa em algum momento por achar que ele fosse gay, dentre outras situações vergonhosas.

Relacionamentos amorosos

Apesar de não ser uma trama focada em conflitos amorosos, Vencer el Pasado abriu espaço para alguns casais, como Mariluz e Ulises; Carmen e Lucio; Mauro/Darío e Fabíola; Gemma (Valentina Buzzurro) e Rodrigo (Luis Curiel); Renata e Javier; e nas últimas semanas Fabíola com Erik (Miguel Martínez) e Renata com o agora mocinho Darío.

Em meio a tantos casais, dois chamam atenção: Carmen/Lucio e Renata/Darío. O primeiro por ser um casal mais maduro, tanto Carmen quanto Lucio já tinham uma vida bem encaminhada com seus filhos, mas se oportunizaram uma nova chance ao amor.

Já Renata e Darío é aquele típico casal improvável que começa se odiando, até finge namoro fake, e no final terminam loucos de amor um pelo outro. Se Javier não tivesse sido morto a mando de Lisandro, ele seria um bom candidato ao coração de Renata, talvez até mais que Darío.

Talvez muitos não tenham curtido Darío por ser um protagonista fora do caráter padrão, mas acredito que isso tornou o personagem mais natural. E a forma como o romance entre ele e Renata foi desenvolvido, o qual parecia nunca dar certo, fez a torcida pelos dois serem felizes mais constante a cada episódio.

Bandeiras sociais

Deixando de lado o folhetim, Vencer el Pasado aborda vários temas atuais, e fez com maestria. Desde a conscientização em torno do uso da internet até as mensagens de sororidade e empoderamento feminino.

Na história, ambas as personagens principais são vítimas de Cyberbullying, porém também souberam fazer bom uso das redes em momentos oportunos, como quando Renata encontrou sua mãe biológica após subir um vídeo na internet.

A novela também enfatiza outras temáticas como prostituição, machismo, violência de gênero e barriga de aluguel.

Reta final

Nos últimos episódios, Mauro é desmascarado e todos descobrem sua real identidade e seu verdadeiro objetivo na Biogenelab; Fabíola faz um contrato com Mariluz para essa ser sua barriga de aluguel, em troca de pagar uma cirurgia no coração do sobrinho da funcionária, porém desiste de tudo no penúltimo capítulo; Brenda decide se divorciar de Lisandro e assumir sua posição na empresa em definitivo; Danna passa a comercializar drogas para se tornar popular na internet e isso culmina na sua expulsão da escola; Carmen põe em risco sua relação com Lucio ao levar os filhos do último para conhecer a mãe deles doente, fato que ela desconhecia, e expõe as crianças a uma situação nada agradável; Brenda revela que Isidro (Iván Bronstein), o motorista de Lisandro, é o verdadeiro pai de Javier; Renata encontra sua mãe biológica, Caridad “Yoaly” (Lourdes Munguía), porém ela não é compatível para ser sua doadora de fígado; Brenda consegue as provas para derrubar o império de Lisandro e conta com a ajuda de Darío; Renata descobre que Lisandro é seu verdadeiro pai, e também o violador de sua mãe, e para completar, também padece da mesma doença que ela.

Como tudo termina?

No último episódio, Lisandro é baleado por Alonso, mas sobrevive, e os dois vão para a prisão; Fabíola, sendo meia-irmã de Renata, decide fazer a doação do fígado que ela precisa para viver. Meses depois Lisandro é condenado por todos os seus crimes: roubo, estupro, assassinato e etc.

Renata se recupera totalmente do transplante de fígado e recebe parte das ações da empresa, como filha de Lisandro; Darío descobre que é o verdadeiro pai de Rodrigo; Fabíola faz as pazes com Renata e as duas assumem a Biogenelab junto com Brenda; Mariluz se reconcilia com seus pais no interior; Renata visita Lisandro no seu leito de morte, mas ele confessa não se arrepender de nada e morre; Carmen e Heriberto (Roberto Blandón), mesmo divorciados, decidem ser melhores pais para seus filhos; Eusebio (Otto Sirgo) confessa a seus sobrinhos que é gay; Danna vai prestar serviço comunitário pelo problema com a venda de drogas; Fabíola vive uma relação às escondidas com Erik e, enfim, Renata e Darío ficam juntos e conseguem ser felizes.

O capítulo se encerra com as quatro protagonistas passando uma linda mensagem de sororidade e empoderamento feminino.

Vale a pena?

Com uma narrativa naturalista e ágil, porém sem desmerecer a raiz melodramática, Vencer el Pasado é uma trama instigante. Apesar de algumas situações soarem como clichês e, até mesmo o texto fazer bastante uso de efetismo para chocar o público, os plots não cansam e cada episódio é uma verdadeira bomba (no bom sentido).

Contudo, nos últimos episódios, o texto carece de uma maior organização em alguns acontecimentos, e o ritmo é prejudicado, como, por exemplo o fato de Fabíola se apaixonar por Erik quase do nada, ou ela descobrir a verdadeira face do pai no penúltimo episódio. Tudo teria fluido melhor se fosse desenvolvido com um pouco de antecedência, pois Fabíola, que nunca foi empática, em instantes resolve ajudar todos os personagens da novela.

Apesar de nem todos os personagens terem tido o desenvolvimento que mereciam, como Alonso e Eusebio, que mais pareciam fantoches em momentos oportunos do roteiro, alguns receberam a atenção merecida. Renata, por exemplo, faz jus a mocinha sofrida de um melodrama tradicional, mas não por amor, e sim por lutar por sua sobrevivência.

Outro ponto negativo é o uso de nomes alternativos para as redes sociais, pois se a ideia é trazer uma ambientação mais próxima do mundo real, por que então não fazer uso de nomes como Twitter, TikTok, Facebook e etc.? É uma proposta controversa!

No entanto, saúdo com felicitações aos escritores Pedro Armando Rodríguez e Alejandra Romero, junto com os co-adaptadores Humberto Robles, Gerardo Pérez Zermeño e Luis Gamboa Gangoiti pela criatividade e proeza (dado as últimas novelas da emissora) de manter o público cativo até o final da novela. Outra grande satisfação é ver como o gênero telenovela está se reinventando com o tempo, dessa forma, acompanhando também o amadurecimento do público, como a inserção de cenas prévias no início de cada episódio.

A direção sob o comando de Fernando Nesma e Benjamín Cann traz uma pegada que mescla drama e comédia. Em determinados momentos, todavia, algumas situações dramáticas ultrapassam a linha e acabam se tornando motivo de muitos risos, como a sequência que Carmen, Renata e Mariluz capturam o ex-namorado da última, que jogou suas fotos íntimas na rede.

Os cenários e ambientação no geral não surpreendem muito, dado outras produções de Rosy Ocampo. Ambientes muito coloridos tomam presença mais uma vez.

Atuações

O elenco no geral está ótimo, mas vale destacar Angelique Boyer como o seu melhor papel e performance desde Teresa. A personagem é sofredora, mas alegre e muito carismática. Sebastián Rulli também se destacou na reta final com as comovedoras cenas onde seu personagem sofre temendo perder Renata.

Outros nomes de destaque são Erika Buenfil como Carmen, África Zavala como Fabíola, Leonardo Daniel como o vilão Lisandro Mascaró, Ferdinando Valencia como Javier, Gabriela Rivero como Brenda e Arantza Ruiz como a injustiçada Mariluz.

Curiosidades

Alguns personagens de outras novelas que fazem parte da franquia ‘Vencer’ fizeram participações especiais aqui como Claudia Álvarez como Ariadna e Valentina Buzzurro como Gemma, ambas de Vencer el Desamor. A primeira é apenas uma rápida participação, já a última fica até o final como coadjuvante de outros núcleos (para não chamar de fantoche do roteiro). Jade Fraser como Cristina e Arcelia Ramírez como Inés de Vencer el Miedo também aparecem em algum momento. Contudo, esses personagens não interferem no andamento da história, caso o público não tenha acompanhado as outras novelas.

O ator Leonardo Daniel estava em Vencer el Desamor como o vilão Lino Ferrer, mas teve que ser substituído por Marco Treviño devido ter adoecido durante as filmagens, porém voltou em Vencer el Pasado retomando seu posto de vilão, agora como outro personagem (lembrando que ambas as novelas são do mesmo universo).

Palavra Final:

Vencer el Pasado é uma novela curta, ágil e instigante, que bebe tanto do melodrama tradicional como faz pinceladas numa narrativa mais moderna.

Nota: 8,8

Jonathas Lopes

Jonathas Lopes

Amante de teledramaturgia e cinema. Crítico de televisão nas horas vagas, e apaixonado pelo universo Star Wars.

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter