Ya No Estoy Aqui: o novo filme da Netflix que está comovendo o México

Cadu Safner
Cadu Safner
Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)
Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)

A Netflix acaba de lançar aquele que vem a ser considerado (em poucas horas) um dos melhores lançamentos do streaming do ano, lá no México: Ya No Estoy Aqui (Não Estou Mais Aqui). O filme é todo ambientado em Monterrey e Nova York, e é uma carta de amor à cultura Cholombiana (amantes da cumbia; ritmo musical originário da Colômbia).

O longa mexicano fala sobre um adolescente que é forçado a emigrar para os Estados Unidos e que carrega nas costas a dor de ser arrancado do seu lugar. Ya No Estoy Aqui bate de frente com outro sucesso do país, a série Control Z, que traz a popular Macarena Garcia, de Like La Leyenda (Televisa/2018), Los Elegidos (Televisa/2019) e 100 Dias Para Enamorarnos (Telemundo/2020).

Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)
Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)

Dirigido por Fernando Frías, o filme já percorreu vários festivais, como o de Tribeca, em Nova York, e o Morelia Film Festival, onde ganhou o prêmio de Melhor Longa-Metragem Mexicano. Agora ele se junta à lista dos melhores do catálogo, com ótima avaliação pelo público.

A história se passa no início deste século e o chamariz também fica por conta dos movimentos de dança e os penteados dos mais diversos, muitos nunca vistos fora de Monterrey. Todos eles extraídos da cultura de rua Cholombiano. Os padrões e gêneros presentes no filme são os preferidos da subcultura da cumbia colombiana, às misturas lentas do estilo sonidero (ritmo) da Cidade do México.

Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)
Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)

As baladas folclóricas dos anos 90 e o modo de vida cholombiano predominou durante uma era importante nas comunidades marginalizadas da cidade. Ulises, de 17 anos, personagem interpretado pelo ator Juan Daniel Garcia, é deslocado de sua casa no meio de uma guerra intensificada desencadeada pelo tráfico de drogas.

Em casa, sua vida familiar é dividida. Sua mãe solteira o repreende por escutar música muito alta e seu irmão, um bebê que chora constantemente e que não dorme por causa das músicas de Ulises e a guerra ao seu redor.

Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)
Ya No Estoy Aqui (Reprodução: Netflix)

Fora de sua casa Ulises é rei. Ele lidera o Los Terkos, uma equipe de dança que passa dias e noites tocando remixes de cumbia em meio tempo com outros adolescentes cholombianos. Em festas cheias de estilos extravagantes, seus movimentos e talento com a dança o faz um jovem respeitado até pelos mais velhos da comunidade.

Mas o sonho de Ulises desmoronam em sua chegada à comunidade de Jackson Heights, em Queens, Nova York. Ele é ridicularizado por seus colegas de quarto e pessoas nas ruas. Sua aparência atrai comentários comparando-o a um personagem de Dragon Ball Z e piadinhas de cunho homofóbico.

A trama se movimenta entre o passado e o presente, mostrando-nos como era a vida em Monterrey para Ulises e suas lutas atuais em Nova York. Flashbacks melancólicos são definidos com letras de cumbia, expressando um desejo pelas colinas e clareiras gramadas em casa. Ulises é um jovem que se vê sem lugar, sem presente ou futuro.

Confira o trailer de Ya No Estoy Aqui:

 

 

Cadu Safner

Cadu Safner

Jornalista e editor-chefe do site Estrela Latina (Metrópoles), repórter com passagens na RedeTV!, Band, AllTV e no portal Terra. Desempenhou funções em editoriais de moda, política, policial e também assina a coluna Holofote, no site Observatório da TV (UOL).

Post Relacionados

Fique conectado!

Assine a nossa newsletter